terça-feira, 10 de março de 2015

Ultra Trail de Conímbriga Terras de Sicó, a nossa maior ultra até à data

Estávamos inscritos para esta ultra desde inicio de Dezembro. 
Na altura estávamos em preparação para os Abutres e chegámos a pensar que as duas provas podiam estar um pouco próximas de mais, mas com a aventura Abutres a acabar aos 24 km, as dúvidas desvaneceram-se. A única dúvida seria a distância em si. 65 km são muitos km's! E o máximo que tínhamos feito tinham sido os 53 km de Arga e antes disso os 44 de São Mamede. 

Uns dias antes da prova começam as desgraças. Optei por não vir para aqui choramingar por isto e por aquilo para evitar que começassem a pensar que eu estava só a arranjar desculpas. 
Agora já completámos a prova e posso-me queixar à vontade :)

Tinhamos andado a pensar durante todo o tempo que esta prova não tinha tempos-limite, pois no regulamento só apareciam para os 111 km. Estávamos descansados portanto, íamos descontraídos sem a pressão dos tempos. ERRADO. O amigo João descobriu no Facebook da prova e entretanto no site da prova (mas não no regulamento!) que esta prova tinha os seguintes tempos limite:

  • 25 km -5h
  • 45 km - 9h
  • 53km - 10h30
  • 65 km - 12h 
DETESTO tempos-limites! Principalmente a meio da prova, é um grande stress. Mas como já puderam ler no artigo anterior nós CONSEGUIMOS terminar a prova embora após as 12h. 
Quando olhámos para estes limites, o que mais nos assustou foi o primeiro, o dos 25 km. Pareceu-nos um pouco apertado, tendo em conta que, pelo gráfico, esta parecia ser a pior parte da prova, com mais subidas. O ideal seria chegar a este controlo com margem para irmos ganhando margem progressivamente para os controlos seguintes, mas lá iremos ao relato.

Depois, na quarta-feira (na semana da prova!) apareceu-me uma dorzita junto ao tornozelo. Nada de extraordinário, dava para correr, embora sempre com aquela dorzita ali a chatear...Agora...quando fosse para correr 65 km...não sabia o que iria acontecer.

Apesar destas limitações, não foram cá tempos-limites, não foi cá dor no pé (já vos conto como o meu pé estava depois da prova...) que nos tenha impedido de completar mais uma ULTRA! E graças a uns extras acabaram por ser 67 km!!!! Minha nossa! Quase 70 km!!!

Já estão fartos de ler? Oh amigos, isto ainda vai na introdução... ;)

Apesar de tudo isto, sentia-me confiante para esta prova. Mas não deixava de ter algum receio. Não propriamente pela distância mas pelos tempos-limites intermédios. Não nos estava muito a apetecer voltar a ficar pelo caminho como aconteceu nos Abutres....

Bem...chegou sábado e partimos de manhã para Condeixa. Levantámos os nossos dorsais, o 1080 e o 1081. Tinha um 8 no dorsal, estava safa! (gozem gozem com a minha mania, mas a verdade é que resultou...). Ainda vimos o 2º classificado dos 111 km a chegar. 111 km, e a louca sou eu? (um dia serei...)

Seguimos então para Coimbra onde seria o nosso "acampamento-base", almoçámos bem, passeámos um pouco à chuva, vimos a 2ª parte dos 6-0 do Benfica =), curiosidade das curiosidades o Benfica fazia 111 anos no dia em que se estavam a desenrolar os 111 km de Sicó. Só não vê quem não quer ;)
O João ia-nos enviando sms com o progresso do Filipe Torres e fomos vibrando com cada passagem de controlo, o resto já sabem, o Filipe completou os 111 km (na realidade foram 116 km!!!) muito bem classificado. Parabéns Filipe!

Jantámos massa, preparámos as coisas para o dia seguinte e falámos com o S.Pedro para ele ser um pouco mais simpático com os atletas dos 65 km, visto que tinha brindado os atletas dos 111 km com chuva praticamente o dia todo.

BIP, BIP, BIP, BIP.
Demasiado cedo a um domingo estávamos a acordar para ir correr 65 km. Meto-me em cada uma! Metemo-nos! E geralmente sou eu que tenho as ideias de nos meter nestas coisas...mas depois o Vitor acaba por ter mais resistência que eu.

Tomamos o pequeno-almoço e aí vamos nós para Condeixa-a-Nova.
AI CA MEDO!!!
Pelo menos não está a chover, embora não haja sol e o tempo esteja encoberto.
Encontramos malta conhecida e conversamos um pouco.
Aqui com o Magro e a Anabela. O amigo Magro faz anos! Que maneira doida e fantástica de se comemorar o aniversário :)


Nós.

Com o amigo Magro e Anabela.

Encontramos o amigo Pedro Burguette da equipa "irmã" Açoreana Banif, que já sabíamos vir a esta prova na sua preparação para os 100 km de São Mamede. Diz-nos que gostava de ter companhia pois o colega de equipa é doutra liga (e havia de chegar à meta com 7 h e tal....), dizemos-lhe que somos demasiado lentos para ele pois ambos sabemos que o Pedro corre bem mais depressa que nós, mas ele responde que prefere fazer uma prova bem acompanhado do que ir sozinho.
E assim, estava formado o trio que iria conquistar Sicó! :)
(NOTA: Há uma foto de nós os 3 mas ainda não a temos em nossa posse)
Actualizado!

Os 3 companheiros desta grande aventura!
Pedro, Isa e Vitor

O tempo passou demasiado depressa e rapidamente estava a ser dada a partida.
AI CA MEDO!!!!

Km's iniciais dentro de Condeixa para rapidamente entrarmos em Conímbriga, onde o amigo Joaquim Adelino estava a tirar fotos. Saímos de Conímbriga em direcção ao meio do mato. Agora é que é a sério! E de repente, o Pedro está a verter água. Calma! Não é nada disso!!! =P O recipiente de água dele rompeu-se e assim se foram 2 L de água. Acabou por deixar a bolsa de água rota com uns bombeiros que simpaticamente disponibilizaram-lhe logo uma garrafa de água.
Desde já uma palavra para a organização desta prova: IMPECÁVEL!!! Das melhores de sempre. Bombeiros, voluntários, muita gente e muito boa gente. ADOREI!


A correr junto às ruínas de Conímbriga.


Pouco depois deste precalço chegávamos a uma fila de trânsito. Parados no pára-arranca no meio da serra de Sicó. E depois percebemos porquê. Uma descida muito íngreme em escadaria natural com muita lama. Era necessário muito cuidado para não escorregar. O Pedro tinha bastões mas ainda estava a testá-los e de facto percebemos que ele nestas descidas técnicas tem tanto ou mais cuidado que nós. Esta zona se bem me lembro chamava-se Trilho da Cascata e foi das mais bonitas de toda a prova. Começámos bem :)

É uma pena que a foto não mostre melhor a beleza única deste lugar.
Mas imaginem uma zona verde e uma água super transparente.

Neste km demorámos mais de 20 minutos tal o trânsito e a tecnicidade mas mais à frente havíamos de recuperar. Sempre que dava para correr lá metíamos o serratrote ;)


Aqui ia a dançar :)
A sério!



E assim chegámos ao 1º abastecimento, por volta do km 10.
Os meus olhos rapidamente se focaram em algo vermelhinho. SIM, ERA ELE!!!!!!
TOMATE COM SAL!!!!!! THE SPECIAL ONE!!!! =)
Depois, lá olhei mais para o resto da mesa/banquete e começaria aqui um belo enamoramento pelo queijo. Nunca comi tanto queijo na minha vida como nestas 13h. TÃO BOM!!!!

Seguimos na converseta os três, a companhia do Pedro estava a ser muito boa. Foi bom, para variar, irmos com outra pessoa a viver esta aventura.



Nestes km's iniciais eu já ia com a tal dor junto ao tornozelo e ia um pouco apreensiva a pensar nos km's que ainda faltavam...Optei por não comentar nada com o Vitor até ao controlo dos 25 km, primeiro tinhamos que conseguir lá chegar.
Siga para o controlo dos 25 km!
Mas antes ainda tinhamos duas senhoras subidas!

Uma das subidas era das mais inclinadas que já apanhámos, possivelmente a mais inclinada. Não estou a exagerar quando digo que aquilo era quase vertical! O Pedro ia umas centenas de metros à nossa frente nesta fase e quando chegámos a esta subida rimo-nos tanto! O Pedro estava de gatas a meio da subida e não conseguia sair dali. E porquê? Porque a subida para além de ser quase vertical estava cheia de lama! Ainda começámos a tentar subir aquilo mas o Vitor rapidamente inventou um atalho pelas ervas.

"Oh Burguette! Sai daí, vai pelas ervas!" gritámos nós.
"Isso queria eu! Mas se me mexo escorrego por aqui abaixo!" respondeu ele.

A tal subida onde o Burguette ficou de gatas eheheh :)

Lá está ele :)

Olhem, sempre que me lembro desta cena desmancho-me a rir. Epá, só visto!
Entretanto, apareceram uns voluntários de bicicleta que nos aconselharam a fazer o que pelos vistos a maioria dos atletas tinha feito, seguir por um trilhozinho que ia dar mais ao lado mas que não era tão inclinado nem tão escorregadio. Eventualmente o Burguette lá conseguiu sair dali eheheheh e lá atingimos o topo daquele monte. UFA!!!

Pensei para mim "Isto é corrível uma ova!!!"

Depois disto havia uma ligeira descida e nova subida mas muito mais fácil que a anterior. A partir daqui o Pedro ganhou-nos algum avanço e pensámos que ele tinha seguido à sua vida mas acabaríamos por apanhá-lo mais à frente.

Eu? Cansada de subir? Ora essa!!!
Vejam-me bem esta paisagem!





Entretanto seguíamos os dois juntos em mais uma subida. As vistas eram espectaculares! Mas eu ia só a olhar para o relógio a controlar o tempo e ao mesmo tempo a pensar que não tinha sido feita para estas coisas. Oh mulher, deixa-te disso!!! Que já fizeste 2 ultras!

Entretanto depois desta subida, continuámos a subir mas já não era tão inclinado a até íamos a subir a um bom ritmo. Tinhamos deixado vários atletas para trás, estávamos longe de ser os últimos...
E assim chegámos à última grande subida antes do primeiro controlo. Mais uma longa subida até às antenas. E mais uma vez tivemos que inventar caminho pelo meio das ervas senão escorregávamos por ali abaixo. E é assim que se vão acrescentando metros aos km's finais....


Bora lá subir isto!
"Corrível...." pensei eu... :)

Ufa!
Deixem-me só descansar aqui um bocado.

Nesta subida apanhámos de novo o Pedro e depois era plano e estávamos a chegar aos 25 km!
ÍAMOS CONSEGUIR! Não só íamos conseguir como íamos fazê-lo com alguma margem. Mas chegados ao km 25 abastecimento nem vê-lo....Mas ainda tinhamos uma boa margem. Íamos com menos de 4h30, tranquilo.

O abastecimento/controlo lá apareceu por volta do km 27 e mesmo assim chegámos lá com uns 20 minutos de margem.

UFA!!!! QUE ALÍVIO!!!

Deixa cá acalmar-me com vários bocadinhos de queijo e mais tomate com sal ;)

Enviámos sms ao João, pois ele tinha-nos pedido uma sms em cada controlo que conseguíssemos passar. E pouco depois recebíamos uma sms eufórica da parte dele e a dar-nos força.
Obrigada por toda a tua força ao longo da prova João!

Depois deste primeiro controlo passado, descontraímos um pouco. Seguimos os três e corremos muito. A seguir ao primeiro controlo estava a zona mais corrível de toda a prova. Corremos vários km's sem parar. E o pé a dar sinal...Mas nada impeditivo de correr por isso continuei.
Autênticas autoestradas de terra batida ou erva. Muito bom! Começámos a recuperar tempo.


A melhor "auto-estrada" que já encontrámos em trilhos.

Corremos tanto que já estávamos a ficar fartos de correr e eu já vinha a desejar uma subida! Passámos por uma zona lindissima com muitas rochas e avistámos alguém a fazer escalada. O nosso primeiro pensamento foi "Não....não me digas que....". Mas não. Não fazia parte da prova. Eram mesmo outras pessoas que estavam por ali a fazer escalada. Por esta altura juntou-se a nós outra atleta com quem seguimos na conversa.

Zonas verdes lindíssimas!
Autênticos túneis no meio das árvores.
Lá está a malta a escalar a rocha.

E mais à frente iríamos chegar ao abastecimento ao km 37 "No Limits", ou pelo menos era o que dizia no edifício onde se localizava este abastecimento ;)
Os abastecimentos nesta prova eram simplesmente espectaculares. Para quem não gosta de trilhos, se as paisagens não vos convencerem (como seria tal coisa possível?), se o desafio não vos convencer, com certeza que as coisinhas boas que costumamos comer nestas provas vos irão convencer =P
Ora aqui tínhamos:

  • bananas
  • laranjas
  • batatas-fritas
  • tomate (por favor nem devia ter que dizer mais nada!)
  • sal
  • pão
  • mel (também adorei o mel nesta prova)
  • biscoitos
  • queijo (comi tanto nas 13h que não sei como é que não me caiu mal)
  • canja 
  • café
Sinceramente, o que é que podíamos pedir mais?
Talvez leitão no abastecimento seguinte...

Neste abastecimento, como escrevi, havia canja. A canja nem é a minha sopa favorita mas o Vitor adora e o Burguette também comeu. Lá provei um bocadinho da do Vitor e também me soube bem. Não estava frio mas sopa quentinha sabe sempre bem. O Vitor ainda aproveitou para beber um cafézinho. Mais um bocadinho e quase que estávamos na esplanada....

O amigo Burguette a comer canja.
O Vitor a comer canja.
E a Isa come tomate com sal ;)


A seguir e esta abastecimento havia uma subida até a uma capela. Era a subida até à Sra. da Estrela e até se fez bem. Depois havia nova zona para corrermos. Festejámos o km 40 e corremos rumo ao segundo controlo mas íamos com muito boa folga. Estávamos a ganhar uma boa margem nesta fase da prova mas também foi mais ou menos por esta altura que comecei a sentir-me mais cansada. 40 e poucos km's já é muita fruta. E depois o pé....Sentia o pé a piorar de km para km. Já coxeava ligeiramente a correr...E ainda faltavam mais de 20 km. Só tinha um foco: passar todos os controlos e completar a prova.

A chegar à Sra. da Estrela na companhia da tal atleta.
Uns degraus para dar mais piada à coisa...
E agora um pouco de auto-estrada de alcatrão.
Também soube bem :)

Completámos 45 km mas ainda não se avistava o abastecimento,embora já se avistasse Tapéus. Vinha aflitinha já há algum tempo e tinhamos quase 1h de margem para chegar a este 2º controlo por isso parei junto a uns arbustos e aliviei-me :) 
Passado cerca de 1 km chegámos então ao abastecimento que segundo os nossos GPS estava ao km 46. Aqui ficámos a saber que o colega de equipa do Burguette já tinha terminado a prova com cerca de 7h50, tendo ficado nos primeiros 30! 

Num abastecimento que, mais uma vez, estava bem recheado, alguém perguntou "Querem sandes de leitão?" UI!!! O Pedro agarrou-se à sandes e adorou! Aquilo soube-lhe mesmo bem pois vinha a falar disso. Eu e o Vitor aproveitámos para encher as nossas mochilas que já vinham sem água.
E assim, depois de mais um abastecimento seguimos rumo ao último controlo que estava ao km 53. Apesar de estarmos com quase 1h de margem não podíamos facilitar pois a seguir vinha uma zona com muitos km' sempre a subir.

Lá começámos a subir, a vista era deslumbrante mas ninguém lhe apeteceu tirar fotos, íamos concentrados na prova. Aliás, tendo em conta a distância da prova nem tirámos assim tantas fotos pois íamos concentrados na mesma e distraídos na conversa. 

Assim que apanhámos ligeira descida lá fomos nós todos contentes sempre em frente até encontrarmos nova subida. Depois de chegarmos ao cimo desta subida um dos rapazes disse "Onde estão as fitas?". Olhámos para um lado, olhámos para o outro e fitas nem vê-las. 
Acho que todos pensámos "Acabámos de subir esta porra toda e afinal se calhar não era preciso!!!".
O Vitor voltou para trás para tentar descobrir onde nos tinhamos enganado. O Pedro aproveitou para vestir o corta-vento e eu comecei também a descer. O Vitor nunca mais voltava. Gritei por ele. Nada. Será que nos tínhamos enganado assim tanto? Toca o meu telemóvel, era o Vitor, tinha encontrado um cruzamento com fitas. Lá voltámos para trás.
O Vitor fica sempre chateado quando nos enganamos. São km's desnecessários (e neste caso foram a subir!...) e ainda por cima tínhamos a pressão do tempo por causa do controlo que ainda nos faltava.
Este engano valeu-nos talvez 1 km a mais, o que em trilhos e ainda por cima a subir ainda significa uns bons minutos a mais, mas eu mantive-me calma. Estava optimista que íamos conseguir. 

Bem, mas depois de encontrado o cruzamento do engano surgiu uma dúvida. De onde tínhamos vindo? Qual a direcção correcta? Tínhamos quase a certeza que tínhamos vindo dali...mas e se fosse do outro lado?  Lá seguimos pelo caminho que achávamos o correcto mas os rapazes mantiveram-se sempre na dúvida. "Não passámos por aquele tronco à bocado, pois não?", "Não passámos neste trilho à pouco, pois não?" NÃO SENHORES!!!! Estamos no caminho certo! E para o comprovar surgiu um atleta atrás de nós que nos confirmou irmos na direcção certa e que nos disse que o último atleta vinha aí atrás com os vassouras. Ora bolas, quase 50 km sem sermos os últimos, vinham tantos atletas atrás de nós e agora éramos os últimos? Ao que parece ainda houve algumas desistências e também alguns atletas barrados nos controlos. Pode-se dizer que tivemos muita sorte! 

Lá fomos alcançados pelo último atleta e a partir daqui iríamos seguir todos juntos até à meta. Um grupo de 6 muito animado :) 

Já começava a ficar escuro mas queríamos chegar ao último controlo para só aí colocar os frontais. O tempo a passar e nunca mais lá chegávamos. E o meu pé....o meu pé esquerdo doía de lado junto ao tornozelo e já tinha alastrado para a planta do pé. Cada vez que tocava com o pé no chão doía-me. Não era uma dor horrível, se não teria sido impossível continuar. Mas estava a doer-me consideravelmente. Tinha que tentar abstrair-me da dor e continuar. Foco Isa. Foco. Vais terminar isto! Esquece a dor!

Com o tempo a passar, a margem que tínhamos foi-se desvanecendo e comecei a ver a coisa mais preta. Até que a certa altura os vassouras disseram que faltava menos de 1 km para o controlo. Foi dar corda aos sapatos. Só acreditava que íamos concluir os 65 km quando visse o abastecimento.

E então ei-lo!!!! GLORIOSO MOMENTO!

Com cerca de 15/20 minutos de margem! CONSEGUIMOS! VAMOS CONSEGUIR!

Aqui havia caldo verde que aceitei de bom grado e que me soube mesmo muito bem. Havia também gente muito simpática neste abastecimento. 
Se pudesse hoje daria um beijinho a cada uma destes voluntários. Uma simpatia todos eles!
Havia também um cão muito simpático e todo molhado porque entretanto começara a cair alguma chuva.

Aqui o outro atleta que vinha conosco disse que achava que ia ficar por ali, ia desistir. Dissemos-lhe para não desistir, já tinha chegado ali, agora era "só" terminar, vinha conosco, íamos todos juntos até à meta. Mas ele disse que estava muito mal disposto, nem conseguia comer nada. Demos-lhe força para continuar mas quando decidimos seguir caminho, ele lá continuava sentado. 

Depois de colocados os frontais seguimos caminho já de noite. 
E passado um bocado fomos agradavelmente surpreendidos por 3 luzinhas que vinham atrás de nós. O outro senhor ia continuar! Juntou-se a nós e seguimos os 6 todos juntos. Depois de beber uns copos de água e de se ter sentado a descansar diz que se sentiu melhor e que decidiu continuar. A partir daqui decidimos mesmo até por segurança seguirmos todos juntos.

É interessante passarmos nos locais à noite. Só vimos aquilo que está mesmo à nossa frente. Podiam haver montes à volta, árvores e arbustos, escarpas pontiagudas, autênticas ribanceiras que nós não sabíamos. Mas na minha cabeça imaginei uma zona com pouco arvoredo e com montes à volta. Para saber temos que lá voltar no próximo ano e acabar de dia....

Íamos na converseta todos. O Vitor ia à frente com um dos "vassouras". Ele vai dizer que não, mas o que eu sei é que eu e o Burguette vinhamos cá atrás com os outros dois e ele ia todo acelerado lá à frente, íamos com perto de 60 km nas pernas. E depois ainda se vira para uma pessoa em plena prova (todo resmungão) e balbucia qualquer coisa sobre os 100 km de São Mamede. Oh minha nossa senhora! Nem eu quero saber dos 100 km de São Mamede para nada neste momento. Vai pra aqui uma pessoa toda partida e a mancar e vêm falar destas coisas. Claro que os 100 km de São Mamede não são para fazer...este ano... ;) Mas em 2016 a gente já fala ;)

Até aqui o Burguette vinha a sonhar com os janquinzinhos com arroz de tomate que ia comer ao jantar. Falei-lhe disso nesta altura e ele respondeu-me que já tinha passado essa fase...agora já estava noutra dimensão eheheh. 60 km é muita fruta e mexe muito com a nossa cabeça. No meu caso mexeu mais com o meu pé....

Seguíamos por uns trilhos algo técnicos e que se tornavam piores por ser de noite. Já fazia algum frio e chuviscava. Mas nada a ver com os Abutres! Mesmo assim ainda havia alguma lama e o vassoura da frente ia sempre a avisar-nos para termos muito cuidado, mesmo assim houve alguém que foi com o rabo ao chão. Esse alguém depois que se acuse... =P

Estava já esgotada, só queria chegar à meta, o meu pé já latejava. Nem sei como aguentei tanto km assim. Ainda por cima percebemos que íamos fazer mais que os 65 km e que íamos chegar após as 12h de tempo-limite final. Mas já não fazia mal, tinhamos conseguido passar todos os controlos intermédios, ESTA JÁ CÁ CANTAVA!

Mas cada passo já custava. Quando? Mas quando chegaríamos à estrada? Sabíamos pelos atletas vassoura que quando chegássemos à estrada já não faltaria muito, entrávamos em Condeixa-a-Velha e depois em Condeixa-a-Nova onde estava instalada a meta. Mas quando senhores???  Ouvíamos o barulho de carros mas nunca mais chegávamos à estrada. Ah como eu queria o asfalto! Piso lisinho para rolar um pouco à velocidade de tartaruga que o pé não dava para mais.
E enfim ei-la! A ESTRADA!!! YEAH!!!!

Aqui tivemos duas surpresas. A primeira é que havia um carro dos bombeiros à nossa espera para nos fazer escolta. Espectáculo! Assim sim! Uma pessoa sabe que alguma coisa que precise estão logo ali bombeiros prontos a ajudar. 5*!
A segunda surpresa foi ainda melhor. Um abastecimento surpresa!
GANDA FESTA! MAIS QUEIJINHO!!! EHEHEH :)
Mais uma vez pessoal super simpático. Eu, o Vitor e o Narciso, o outro atleta que vinha agora conosco, tivemos que chamar pelo Burguette porque senão ele ficava ali a noite toda na conversa eheheh :)
Para terminar ainda metemos por mais uns trilhozitos. Aqui havia concorrência, umas rãs a saltarem à nossa frente. Foi muito engraçado, nós a iluminarmos o chão e víamos as rãs a saltarem para fora do trilho.

Nesta altura nós os 3 já tinhamos batido os 65 km. Entrámos em Condeixa-a-Velha. O Pedro ainda lançou o desafio de chegarmos antes das 13h. LOUCO! Eu já me ia a arrastar mas lá me esforçei para acompanhar a malta. Entrámos em Condeixa-a-Nova. Um dos vassouras disse-nos tintin por tintim o que ainda nos faltava percorrer até à meta. Em 67 km, umas centenas de metros não é nada...mas na altura ainda me pareceu IMENSO!

E então avistámos uma série de pórticos uns a seguir aos outros. ÓBVIO, que a meta era no último pórtico. Demos os quatro as mãos. Eu, Vitor, Pedro Burguette e o Narciso. Gritámos e assobiámos nos apitos enquanto cortávamos a meta. GRANDE FESTA que 3 homens e uma senhora fizeram!
TINHAMOS CONSEGUIDO! 13h depois cortávamos a meta do Ultra Trail de Conímbriga Terras de Sicó. Abraçámo-nos, eu e o Vitor beijámo-nos, agradecemos aos 2 atletas vassouras. Mas a euforia depressa deu lugar ao cansaço. Aliás, foi sempre uma mistura de euforia mental mas para fora transparecia era mais o cansaço. Foram 67 km senhores! É MUITA km!

Mais uma vez a organização manteve-se excelente. Confirmámos que os nossos chips tinham dado sinal e poucos minutos depois o amigo João já nos informava que já aparecíamos classificados na net.
Foi tempo de comer mais qualquer coisa. Mais um pedaço de queijo, mais umas batatas fritas e ainda nos queriam dar cerveja preta! Gente maravilhosa, super prestável e amável!

Despedimo-nos do amigo Burguette, agradecemos a sua excelente companhia e seguimos para o carro, eu a coxear...
Telefonei aos pais e depois ao amigo e companheiro de equipa João. O João foi incansável ao longo da prova. Em cada controlo enviávamos uma sms muito rápida e de seguida recebíamos uma sms de incentivo.

Quando finalmente me descalcei e vi o meu pé é que comecei a tomar noção das proporções da coisa.
Não podia esperar que, depois de 67 km percorridos com uma dor que se foi tornando cada vez pior e que até me fazia coxear, estivesse com o pé normal...
Pois é amigos, tinha o pé inchado abaixo do tornozelo e todo inflamado. Uma bola inchada e bem vermelha. Mas consegui terminar! =)

Nos dias seguintes eu e o Vitor recuperámos bastante bem. Dores musculares aceitáveis. Ninguém diria que tínhamos corrido tanto. O problema é mesmo o pé. Após telefonema para o famoso Urbano fomos até lá para ele analisar o meu pé e para me dar uma carga de porrada no pé, ai enganei-me...fazer-me uma massagem no pé.... ;)
Disse logo que era inflamação para tomar anti-inflamatório, continuar a pôr gelo e a massajar o pé com bola. É o que tenho andado a fazer e tenho melhorado mas ainda não estou a 100% e como tal, desde que comecei a correr há mais de 3 anos, esta é a vez que estou há mais dias sem correr. Foram 7 dias!!! Mas ontem não resisti e fui dar uns passitos de corrida. Foi só 1 km :( e tive ligeiras dores por isso optei por não abusar.
Ainda por cima com uma maratona daqui a pouco mais de 1 mês...
AH MAS EU VOU CORRER A MARATONA DE PARIS! NEM QUE VÁ AO PÉ COXINHO!

Para terminar, que isto já vai longo (é o habitual...), quero deixar aqui alguns agradecimentos.

Primeiro é fundamental agradecer a todas as pessoas que estiveram envolvidas na organização desta prova. Tudo funcionou de forma perfeita, os abastecimentos, a marcação do percurso, a entrega dos dorsais, o percurso corrível mas com subidas qb, paisagens deslumbrantes e zonas mais técnicas lindíssimas, bombeiros e outros voluntários sempre amáveis e prestáveis. Maravilhoso! Estão todos de parabéns!

E no final ainda fomos brindados com...vinho, queijo, mel, doce regional e azulejo.



O único ponto negativo que encontro são os tempos-limite. Continuo sem perceber porque se colocam tempos-limites tão apertados em alguns trails e que eventualmente vão deixar de fora pessoas que pagaram a totalidade da inscrição e que treinaram para percorrer a totalidade da distância. Mas este tema fica para outro artigo.

Quero também agradecer ao companheiro Pedro Burguette pela companhia ao longo de toda a prova.
Pelas risadas e conversa animada e toda a companhia que muito contribuiu para que vários km's passassem sem que déssemos por eles.

Obrigada também aos atletas vassoura e ao companheiro Narciso pela companhia nos km's finais. Formámos um grupo ainda mais animado e fizemos uma grande festa à chegada.

Obrigada ao amigo e "chefe" de equipa João Lima que sempre nos apoiou ao longo da prova e muita força nos transmitiu. As tuas sms foram fundamentais!

E obrigada a ti Vitor por tudo. Por mais uma aventura partilhada, por estares sempre preocupado com o meu pé, por aturares as minhas resmunguices nos km's finais e por seres...o Vitor :)

Foi uma grande aventura! E claro que já só penso nas próximas. E se puderem ter ainda mais km's....melhor :)

24 comentários:

  1. Uau! Que prazer ler um relato destes! (ao contrário do que afirmas no início, nunca nos fartamos de ler quando o texto é assim tão aliciante!)
    67 é mesmo muita km, especialmente nas condições que o teu pé estava.

    Vocês são um enorme orgulho e eu é que agradeço a alegria que foi receber cada uma daquelas sms a informar mais um controlo conquistado.

    São grandes e imparáveis!!!! Que casal de fibra!!!!!!!!

    Muita força para a tua completa recuperação

    Beijinhos e, pela enésima vez, MUITOS PARABÉNS, GRANDE ORGULHO!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste de ler :)
      Mais uma vez obrigada por toda a tua força.
      Este pé vai ao lugar! Ai vai vai que temos todos uma maratona para correr :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Bem, essas fotos são qualquer coisa... :D Também não percebo como é que há quem não se convença! :)
    E óptimo relato, deu para "sentir" tudo. Muitos parabéns!!!
    Essa do Vitor do "Olha S.Mamede" é mesmo conversa típica de homem... lol Que na altura só irrita. :) Claro que depois chegas lá e fazes!! Não há dúvidas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não percebo Rute, mas agora que todos sabem as coisinhas boas que podemos comer nestas provas acho que acabei de converter mais uns quantos ;)

      Ainda bem que gostaste de ler :)

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Parabéns! Vocês estão a ficar umas máquinas! As provas da Associação Mundo da Corrida são provavelmente as melhores em termos de organização no nosso país. Boa recuperação!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sílvio!
      São mesmo muito bem organizadas, um exemplo!

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Boas!

    Eu esperei por este relato uns dias (como leitor assíduo) e já sabia que ia ser bombástico! Valeu a pena esperar! Todos aqueles pomenores deliciosos, que nós que corremos os conhecemos, estão aí, contados com a paixão de quem corre... por paixão!
    Venham mais relatos destes, já agora com tomate com sal!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Luís, assim até fico envergonhada :)
      Ainda bem que gostaste tanto de ler, vou continuar a empenhar-me na escrita.

      Beijinhos

      Eliminar
  5. Não, pelo menos eu não me fartei de ler o artigo, desculpa, posta :)

    Mais uma vez os parabéns pela prova, como foi enfrentada e ainda por cima lesionada.

    Agora vai com calma e recupera totalmente!

    Olha, já leste no regulamento da maratona de paris de que constam os abastecimentos? Podem ter...queijo :)

    bjs e boa recuperação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :)
      O quê? Queijinho nos abastecimentos em Paris??? YUPI!!!

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Fantástico Isa, já não há palavras para descrever as Ultras que vocês fazem.

    Muitos Parabéns, e toca a recuperar desse pé, que daqui a 1 mês temos as Avenidas de Paris à nossa espera :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada João.

      Este pé vai recuperar! Temos todos uma Maratona para correr! :)

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Gandas máquinas...e pumbaaaa mais um recorde pulverizado. Muitos parabéns por isso e por este relato divertido....hmmm...acho que conheço um Perneta que, com esses abastecimentos, era capaz de ainda hoje andar por lá :):):) ...queijo!!! Leitão!! ...não pode!
    Beijinhos e uma recuperação rápida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carlos.
      Ai os abastecimentos...tão bom...mhan mhan mhan...
      Beijinhos :)

      Eliminar
  8. Estamos de parabéns Isa!
    E tu ainda mais, pelas condições físicas em que fizeste a prova. És a minha campeã!
    Somos mais ultras!
    Nunca pensei fazer estas distâncias, só mesmo na tua companhia:)
    Claro que depois do esforço...começo a pensar noutros desafios;)
    Não vi ninguém a bater com o rabo no chão, quem foi?:)
    Adorei todo aquele fim de semana!

    Beijos ultra gigantes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu és o meu campeão :)
      Ai agora já pensas....já vais ver onde nos vamos meter para a próxima.... =P
      Foi um fim-de-semana fantástico e uma corrida inesquecível! Contigo tem sido sempre assim!

      Beijos ultra gigantes do tamanho de 67 km ;)

      Eliminar
  9. Não tenho palavras!
    Espectacular!
    PARABÉNS!
    Rápidas melhoras da "patinha" (eu também ando com uma meio avariada).
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Jorge :)
      Foi mesmo uma aventura espectacular!
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Parabéns, agora é colocares esse pé em ordem!

    Boa sorte para Paris!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sérgio. Estou a tratar disso :)
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Quero estar cá daqui a um ano para ver onde é que vocês andam... :))
    Que evolução que têm tido, Isa!
    Muitos parabéns1
    Gosto muito da vossa atitude face à corrida/trail.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqui a um ano queremos andar a treinar para os 100 km de São Mamede! Mal posso esperar :)
      Obrigada Anabela.
      Beijinhos grandes

      Eliminar
  12. aaah Finalmente consegui um tempo para estar descansado a ler o teu relato! Muito bom! Adorei ler e lembrei-me de uma data de sitios por onde passei também! Mas digo-te uma coisa, tiveram uma sorte danada por estar o tempo limpo, é que eu não tive nenhuma paisagem!! Olha e o canhão de Poios, antes do abastecimento do "No Limits"? Não te lembras dessa parte? Foi a que gostei mais! Essa e aquele trilho da cascata, espectacular! Foram dois dos sitios que pensei logo "A Isa e o Victor vão adorar aqui passar" ehehe Ah, e o queijo? Comi tanto!!! Com presunto, com doce, com mel, com pão..ahaha melhores abastecimento de sempre! ahah Espero que estejas melhor do pé, falta só um mezinho para a próxima aventura :) Beijinhos e parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembro sim, mas não sabia o nome :) A foto do pessoal a fazer escalada foi tirada lá.
      Sim, o trilho da cascata era lindíssimo!
      Os abastecimentos eram mesmo espectaculares! Mas olha que se fores a São Mamede vais ver que não ficam nada atrás, até pizza tinham! :)

      Não estou muito melhor mas isto há-de passar completamente.

      Beijinhos e parabéns a ti também pelos 116!

      Eliminar